Com o objetivo de assegurar maior efetividade no cumprimento das medidas estabelecidas pelos decretos estadual e municipais para conter o avanço da pandemia,  a Associação Mato-grossense dos Municípios está solicitando o apoio da 13ª Brigada de Infantaria Motorizada para auxiliar os gestores municipais neste período crítico. Em documento encaminhado ao comandante da instituição, general Reinaldo Salgado Beato, o presidente da AMM, Neurilan Fraga, argumenta que é preciso intensificar as ações de controle para frear o avanço da covid-19, que já provocou mais de sete mil óbitos em Mato Grosso.

Fraga ressalta a crescente quantidade de casos confirmados e mortes no estado e o consequente colapso da saúde pública, evidenciado por meio de filas de espera para UTI e iminente ameaça de falta de medicamentos para tratar os pacientes. “Precisamos do apoio do Exército brasileiro para que a população cumpra as medidas de biossegurança e seja garantida a restrição na circulação de pessoas”, assinalou, destacando que o  Exército tem papel importante na segurança da sociedade e no apoio em períodos de calamidade pública.

O presidente da AMM disse, ainda, que a maioria dos municípios não têm guarda municipal para fazer a fiscalização junto com as equipes da vigilância sanitária.  “Então não adianta baixar medidas e mais medidas se a população não respeitar as restrições.  Temos que adotar ações mais ostensivas e para isso é fundamental contar com um aparato de segurança para garantir resultados nesse trabalho”, assinalou.

Na última semana, a AMM apresentou a demanda ao Poder Executivo, à Bancada Federal e ao Poder Legislativo Estadual  para que fizessem uma articulação junto ao Exército visando assegurar o apoio aos municípios na fiscalização do cumprimento das medidas estabelecidas para conter a disseminação da covid-19.

Em ofício encaminhado a parlamentares federais, estaduais e dirigentes do Poder Executivo, Fraga também reivindicou que a Polícia Rodoviária Federal seja requisitada para uma atuação mais ostensiva nas barreiras fixadas nas entradas e saídas das cidades polos e em todas as rodovias federais que dão acesso ou cortam os municípios do estado, principalmente nos feriados e finais de semana para diminuir a circulação de pessoas.

console.log(‘Aud01’);