Representantes da Associação dos Transportes de Cargas do Mato Grosso (ATC) solicitaram a intervenção do deputado estadual Delegado Claudinei (PSL), nesta sexta-feira (30), em Rondonópolis, para intensificar a segurança aos motoristas de caminhões e carretas que trafegam em estradas, principalmente nas regiões de Tangará da Serra e Diamantino. No encontro, eles informaram que houve um aumento nos índices de roubos de cargas de grãos e, também, dos veículos.

O diretor executivo da ATC, Miguel Mendes, explicou que houve realmente um aumento considerável no roubo de cargas e de veículos. Ele conta que Márcio Luiz Barbosa da Transportadora Transoeste que trouxe essa demanda para a categoria e, agora, precisam da intervenção do parlamentar para solucionar a situação.

Devido o estado de Mato Grosso ser uma região agrícola e com o aumento nos preços dos grãos, Márcio acredita que o número de ocorrências ampliou com estes fatores. “Antes tinham muitas ocorrências de roubo de carga e os criminosos abandonavam o veículo. Agora, eles roubam a carga e os caminhões ou carretas também. Isso acontece em vários lugares, mas tem uma região específica que é Tangará da Serra que está bem crítico e complicado”, salienta.

Ele exemplifica uma situação que ocorreu em março deste ano, em que os bandidos roubaram um caminhão e, no mesmo dia, acharam um desmanche na região de Diamantino. “Tinha uns quatro motoristas em caminhonetes que procuravam seus caminhões na região. Um encontrou o veículo desmanchado e outro no meio da soja, totalmente abandonado”, detalha Márcio.

O representante da Transportadora Transoeste acredita que a região de Tangará da Serra e Diamantino viraram polos para este tipo de crime. Ele avalia que a pouca fiscalização nas rodovias, muitas estradas de chão e inúmeras fazendas, acabam favorecendo os criminosos a realizarem o desmanche dos caminhões. “Em conversa com o delegado de polícia, ele disse que não tem muito o que fazer, a região de Tangará da Serra é muita grande e com pouca gente. É preciso de um suporte aéreo, pois não tem estrutura”, preocupa Barbosa.

Com o aumento dos roubos, Márcio diz que a preocupação da categoria é que quanto mais os criminosos roubam as cargas e os veículos, mais dinheiro eles obtêm e ficam cada vez mais organizados. “A quadrilha ficando organizada, acredito que não vai acabar com essa situação. Essa é a nossa preocupação. Está ficando insustentável. Até para fazer seguro de cargas, o preço já dobrou e era mais barato uns anos atrás”, expõe.

Os representantes da ATC desconfiam que possa ter uma quadrilha organizada na região de Tangará da Serra e Diamantino e solicitaram o apoio do deputado para ver se essa situação está sendo investigada e, em caso positivo, ter um retorno de uma autoridade policial. “A gente gostaria de saber, de repente vamos fazer uma solicitação e já temos um retorno sobre a investigação. Saber se o problema cresce e se tem uma linha de investigação. Uma quadrilha organizada a serviço do Crime Organizado. Somos leigos. É o que pensamos que possa estar acontecendo. A nossa preocupação é não estarem fazendo nada”, posiciona Miguel.

No final da reunião, Delegado Claudinei solicitou que um dos representantes da ATC marcassem presença na reunião já agendada, nesta segunda-feira (3), com a Diretoria Geral da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso (PJC), em Cuiabá, para ter os esclarecimentos devidos sobre a situação enfrentada pela categoria. “Vamos fazer uma primeira conversa com a diretoria-geral, apresentar uns boletins de ocorrências das vítimas do transporte de cargas. E, claro, ver se encontramos uma solução para aumentar a segurança para estes profissionais do transporte de cargas que tem um papel fundamental para atender várias regiões do país”, informa o parlamentar.

console.log(‘Aud01’);