O canal de notícias CNN Brasil errou ao comunicar o número de ocupação de leitos de UTI, exclusivos para Covid-19, em Mato Grosso. Conforme matéria publicada nesta segunda-feira (22.03), o Estado lideraria a fila por UTIS no Brasil e estaria há 15 dias sem vaga.

O equívoco ocorreu, como o próprio veículo reconheceu na publicação, porque levou em consideração apenas os dados contidos no Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (CNES), e não computou os leitos exclusivos para Covid que ainda não foram cadastrados, mas que são custeados pelo Estado.

Depois de algumas horas, o veículo corrigiu o erro e mudou a manchete.

Erro

MT lidera fila por UTIs no Brasil e permanece há 15 dias sem vagas

O estado de Mato Grosso registrou um forte aumento na procura de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) ao longo do fim de semana e, atualmente, registra a pior situação no Brasil, operando com 132% de sua capacidade – o estado está há 15 dias com todas suas vagas de UTI ocupadas.

Na sexta-feira (19), por exemplo, o MT estava com 107,28% de suas vagas de alta complexidade em uso e aparecia na segunda posição, atrás do vizinho Mato Grosso do Sul, então com 110%. Atualmente, MS registra uso de 106% de seus leitos de UTI.

Os dois estados no Centro-Oeste brasileiro, ao lado de Rondônia, que está com 100% de suas vagas em uso, são os que estão em pior situação no país.

Esses dados foram registrados em meio a escalada de mortes e casos, no que foi o pior final de semana em número de mortes desde o início da pandemia, com 3.728 óbitos por Covid-19 em 48 horas.

Com os dados divulgados, o país soma 294.042 mortes em decorrência da Covid-19 e 11.998.233 casos da doença.

Além deles, porém, outros 13 estados e o Distrito Federal estão com mais de 90% de seus leitos ocupados, o que, de acordo com especialistas ouvidos pela CNN, já configura colapso do sistema de saúde porque não há mais margem para rotatividade dos pacientes.

Entre essas Unidades da Federação com mais de 90% das vagas de UTI preenchidas, 4 apresentaram discreta melhora na comparação com sexta-feira (19): o Paraná passou de 97% para 95%, o Tocantins de 95% para 93%, o Rio Grande do Sul de 100% para 98,4% e, por fim, o Ceará viu o uso de seus leitos recuar de 92,58% para 91,6%.

O levantamento da Agência CNN indica ainda que 8 estados estão com mais de 80% dos leitos em uso, sendo que 6 deles estão mais próximos de entrarem em colapso do que de reduzirem o patamar de ocupação.

Atendimento médico em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes de Covid
Atendimento médico em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes de Covid-19
Foto: Mister Shadow/Estadão Conteúdo

Em todo o país, apenas o Amazonas, com 77,6% de ocupação, e Roraima, com 71%, não aparecem em situação crítica.

Os estados e municípios geram dados a partir de critérios diferentes, como a situação da rede pública e privada, a ocupação de UTI adulta, pediátrica e de Covid-19, assim como a taxa total que reúne todas as informações.

Estados com ocupação acima de 100% :

  • Mato Grosso – 132,85%
  • Mato Grosso do Sul – 106%
  • Rondônia 100%

Estados (além do DF) com ocupação acima de 90% :

  • Acre – 99,1%
  • Rio Grande do Sul – 98,4%
  • Goiás – 98,28%
  • Distrito Federal – 97,1%
  • Pernambuco – 97%
  • Santa Catarina – 96,8%
  • Piauí – 95,4%
  • Paraná – 95%
  • Amapá – 94,23%
  • Espírito Santo – 93,82%
  • Tocantins – 93%
  • Ceará – 91,6%
  • São Paulo – 91,2%
  • Rio Grande do Norte – 90,44%

Estados com ocupação acima de 80% :

  • Maranhão – 89,98%
  • Minas Gerais – 88,9%
  • Rio de Janeiro – 86,8%
  • Pará – 86,67%
  • Alagoas – 86%
  • Bahia – 86%
  • Sergipe – 84,3%
  • Paraíba – 82%

Estados com ocupação abaixo de 80% :

  • Amazonas – 77,6%
  • Roraima – 71%

console.log(‘Aud01’);