Cuiabá completa 302 anos de fundação nesta quinta-feira, 8 de abril. É o segundo aniversário da capital durante a pandemia da Covid-19. Como no ano passado, em 2021, a data não terá festa e será passada, mais uma vez, com as ruas vazias, comércio fechado e sem programação festiva.

Em todos os anos a data era comemorada com extensa programação, com shows, atividades culturais e muita festa.

No entanto, para evitar a aglomerações e a propagação do novo coronavírus e promover o distanciamento social, os eventos estão suspensos.

Em 2019, um bolo de aniversário gigante foi montado no entorno da Praça Alencastro e distribuído com a população. Também teve show de humor com Nico e Lau, apresentações do Grupo Flor Ribeirinha e outras atrações.

Cuiabá 300 anos — Foto: Mayke Toscano/Secom-MT

Mayke Toscano/Secom-MT

No ano passado, o cronograma de aniversário da cidade estava quase concluído, quando foi cancelado por causa da pandemia. Também não houve comemoração.

Já neste ano, a única programação anunciada pela Prefeitura de Cuiabá é a ‘Romaria das Águas e Caminhada da Fé’, sob a organização da Arquidiocese de Cuiabá. O evento é para homenagear o padroeiro da capital.

Região central de Cuiabá — Foto: André Souza/G1

André Souza/G1

Na caminhada, os principais hospitais da capital serão visitados em uma benção especial aos profissionais e pacientes internados.

A concentração será às 14h desta quinta-feira (8), na Comunidade de São Gonçalo Beira Rio. Na sequência, terá início a procissão fluvial, saindo do Marco Zero indo até a Marina da Marinha na Avenida Beira Rio, com a condução da imagem do padroeiro de Cuiabá.

Pandemia

Cuiabá já registrou mais de 68 mil casos de Covid-19, desde o início da pandemia. Mais de 2,2 mil pessoas morreram em decorrência da doença.

Na capital, 47,4 mil pessoas tomaram a vacina contra a Covid-19. O número corresponde a apenas 7,7% da população cuiabana.

Medidas restritivas

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), assinou no dia 30 de março um novo decreto, unindo os serviços essenciais elencados pelo estado e pelo governo federal, após decisão judicial determinar que todos os municípios de Mato Grosso cumpram o decreto estadual estabelecido pelo governador Mauro Mendes (DEM).

O decreto estadual estabelece quarentena obrigatória para municípios com risco alto para a contaminação da Covid-19.

Na prática, Emanuel Pinheiro manteve o que é considerado serviço essencial e os horários determinados pelo governo do estado, incluindo o toque de recolher entre as 21h e as 5h, entre os dias 31 de março e 9 de abril.

Além disso, o prefeito determinou que todos os servidores públicos municipais, que não exerçam atividades essenciais, trabalhem no modelo home office por 10 dias e recomendou que os governos estadual e federal também liberem os servidores para que diminua a circulação de pessoas nas ruas da capital.

Emanuel descartou um novo lockdown em Cuiabá e argumentou que o fechamento de todo o comércio tem dois objetivos. O primeiro é avisar e conscientizar a população sobre a pandemia. O segundo é preparar o sistema de saúde para atender à sociedade.

Segundo ele, não é justo que o trabalhador e também aqueles que geram renda paguem pela irresponsabilidade de pessoas que insistem em aglomerar.

console.log(‘Aud01’);