A Operação Parasita, deflagrada na manhã desta sexta-feira (5) em três estados, teve como alvo, o chefe do Comado Vermelho (CV) em MT, Luciano Mariano da Silva, conhecido como “Marreta”, que está preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá, o antigo presídio Pascoal Ramos que é unidade de segurança máxima.

A quadrilha movimentou mais de R$ 18 milhões, em dois anos, com o tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e outros crimes conexos.

A ação é realizada em quatro estados, sendo eles Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraíba e Pernambuco. São cumpridos 21 mandados de prisão preventiva e 13 mandados de busca e apreensão.

Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá. Além destas medidas, a Justiça determinou ainda o bloqueio de até R$ 12.000.000,00 (doze milhões de reais) nas contas dos investigados, além do sequestro de diversos imóveis, valores em espécie e veículos pertencentes aos criminosos.

Em Mato Grosso, os alvos estão em Cuiabá, Barra do Bugres, Alto Paraguai, Jaciara, Nova Olímpia, Feliz Natal e Nova Mutum.

Nestas cidades, qualquer traficante que pretendesse comercializar entorpecentes deveria ser previamente autorizado pelos líderes, sendo obrigado a adquirir a droga diretamente do grupo. Além disso, uma taxa dos lucros era repassada para a chefia.