A Superintendência Operacional do Sistema Escolar, da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Smecel), está preparando para o mês de março, assim que as aulas retornarem, formação continuada para os profissionais que trabalham com a alimentação escolar nas unidades da rede municipal de Várzea Grande. A formação é uma ação da gerência de alimentação escolar e vai contemplar cerca de 200 técnicos.

As atividades escolares do ano letivo de 2021 na rede municipal estão previstas para ocorrer de forma remota (não presencial) a partir de 1º de março e híbrida (parte presencial e parte não presencial) a partir de 05 de abril.

A superintendente Operacional do Sistema Escolar, Benedita Ponce, explica que o curso “Manipulador de Alimentos em Tempos de Pandemia da Covid-19” será online e terá carga horária de 4 horas. A formação vai orientar os técnicos em como aperfeiçoar as boas práticas de manutenção, como armazenar, receber, preparar e como servir e os alimentos que são servidos na merenda escolar.

A superintendência elaborou uma cartilha “Manual do Manipulador de Alimentos em Tempos de Pandemia da Covid-19” com todas essas informações e será distribuída de forma digital aos merendeiros.

Benedita Ponce explica que, além dessa formação, a Gerência de Alimentação Escolar também prepara outras ações que serão realizadas no primeiro semestre deste ano, quando as aulas híbridas iniciarem. Entre elas, a elaboração dos cardápios para as unidades escolares; diagnóstico e acompanhamento nutricional dos alunos que precisam de cardápio especial (diabéticos, com intolerância à lactose, celíacos, entre outros); avaliação antropométrica (peso e altura) que visa identificar casos de obesidade, sobrepeso e magreza.

Segundo a coordenadora da alimentação escolar, Mônica Gonçalves, assim que iniciar as aulas híbridas será realizado o teste de aceitabilidade do cardápio com os alunos. Eles vão preencher uma ficha para apontar se gostaram ou não de determinado cardápio que foi servido. Em seguida, os nutricionistas fazem a tabulação desses dados. “Se tiver algum alimento com pouca aceitação, ele será retirado do cardápio”, explica Mônica Gonçalves.

Ainda no primeiro semestre de 2021 será realizada uma parceria com renomados chefs de cozinha de Mato Grosso para um maior aperfeiçoamento dos manipuladores de alimentos. “A nossa intenção é fazer esse curso presencial, mas isso vai depender da situação da pandemia e se as aulas presenciais já tiverem retornado”, ressalta a coordenadora.

O cardápio da merenda escolar é composto por dois tipos de carne vermelha, frango e carne suína, frutas e verduras (parte dela é adquirida diretamente da agricultura familiar do município), hortaliças e gênero seco (arroz, feijão, macarrão, óleo de soja e farinha de mandioca).

Aos alunos da creche são servidas quatro refeições diárias; para a educação infantil são duas refeições por dia; uma refeição para os alunos do ensino fundamental; e duas refeições para os alunos da Escola em Tempo Ampliado (ETA).

O calendário escolar da rede pública municipal começará no dia 1º de março com término previsto para 21 de dezembro, totalizando 200 dias letivos.