Reprodução

Reprodução

O deputado federal Emanuelzinho (PTB), levantou uma suspeita a respeito do projeto do Bus Rapid Transit (BRT), idealizado pelo governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), em entrevista ao programa “Passando a Limpo”, durante a noite de ontem (8). Segundo o parlamentar o projeto foi feito as escondidas e desconfia da prática de lobby político, por parte do Governo do Estado.

Desconfiado da conduta de Mendes, Emanuelzinho reforça uma suposta existência do lobby, prática que consiste em influenciar e interferir nas decisões do poder público, principalmente no Legislativo em favor de causas e objetivos.

“Uma desconfiança que gera, é que parece que o Governo está fazendo tudo as escondidas, a gente sabe que existe um lobby no Brasil, não é legalizado, tudo feito as escondidas, não estou acusando, mas quem garante que não há agentes políticos ou empresários que têm interesse nesses ônibus e estão tentando fazer prevalecer interesses particulares em detrimento do interesse popular”, levantou Emanuelzinho.

O parlamentar afirma que os estudos do projeto foram realizados sem a participação das cidades envolvidas, sendo enviado para votação na Assembleia no “apagar das luzes” em 2020, enquanto a imprensa e o parlamento não estavam tão atentos.

“Na época da Copa do Mundo, audiências públicas deliberaram pelo VLT, de repente, você tem uma mudança sem apresentar devidamente, com prazo razoável para que as pessoas avaliem a informação e mandam para a Assembleia votar no apagar das luzes, no finalzinho do ano de 2020, quando a imprensa não está totalmente atenta e o próprio parlamento não está 100% atento, e você passa um projeto dessa magnitude sem se explicar, o que será feito dos trilhos e vagões já comprados?”, questionou o deputado.

O parlamentar criticou também a conduta do chefe de Estado, em relação aqueles que são contrários a substituição do modal. “O Governo do Estado tenta fazer uma dominação da narrativa, em torno do VLT, quem defende o BRT é o lado bom e, quem defende VLT é bandido, ladrão, mau caráter. Tanto que o governador xinga todo mundo, do jeito que ele quer, o tempo todo, não respeita ninguém, só ele que sabe, só ele que tá certo, quem ousa contestar tá quase cometendo um crime de lesa a majestade.”

“O Governo extrapolou o procedimento legal, ele não apresentou o estudo, botou em discussão, abriu para audiência pública e pôs em votação, não! O que ele fez, ele, realizou os estudos técnicos às escondidas, ninguém viu, ninguém participou, anunciou quando fez uma convocação ao prefeito de Cuiabá e ao prefeito de Várzea Grande sobre o pretexto que iriam discutir o VLT”, afirma Emanuelzinho.

Diante das suposições, entramos em contato com a assessoria do governador Mauro Mendes, no entanto, não obtivemos respostas.