Em Cuiabá e Várzea Grande não tinham onde armazenar novo lotes da vacina da Pfizer, e com o trabalho rápido do deputado federal Emanuelzinho (PTB), a baixada cuiabana entrou no radar do Ministério da Saúde e o Hospital Geral será usado como espaço para guardar os imunizantes. 

Um lote de um milhão de doses da vacina do imunizante contra a Covid-19 deve chegar ao Brasil até o final do mês de abril e por isso, menos de 50% das capitais receberão as doses, pois, é necessário ter um freezer que mantenha as doses a -70ºC.

Ao ser anunciada a chegada das doses, Cuiabá corria contra o tempo para conseguir receber e ter onde estocar essa nova remessa. A pedido do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e da secretária de Saúde, Ozenira Felix, Emanuelzinho foi em busca de ajuda e conseguiu. 

“Seguindo nosso trabalho para Mato Grosso, contatei o Hospital Geral e eles disseram que sim, que podem armazenar essas vacinas. E vou protocolar um ofício para o Ministério da Saúde e vamos fazer contato para que a gente possa trazer as vacinas par Cuiabá, Várzea Grande e outros municípios”, disse Emanuelzinho.

O Hospital Geral tem um espaço próprio com frezzers que suportam essa temperatura de até -30 graus e com isso será usado para estocar as vacinas que serão disponibilizadas para Cuiabá e Várzea Grande, principalmente.

console.log(‘Aud01’);