O governador Mauro Mendes afirmou que o material didático comprado pelo Estado vai melhorar a qualidade do ensino em Mato Grosso, pois é semelhante ao que é usado “no ensino privado das melhores escolas do país”.

Mauro e o secretário de Estado de Educação, Alan Porto, receberam as primeiras remessas das apostilas do Ensino Fundamental, que vão auxiliar alunos e professores nas atividades remotas e aulas não presenciais.

No total, são 217,1 mil apostilas aos alunos e 16,2 mil para professores, com conteúdos de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História e Geografia.

“O material que estamos distribuindo tem um conteúdo diferenciado, qualidade de impressão muito boa, semelhante ao que temos no ensino privado das melhores escolas do país”, afirmou.

De acordo com o governador, além de maior qualidade, o novo material didático traz economia aos cofres públicos, pois foi obtido a preço justo e possui conteúdos completos.

“Antes precisávamos arcar com muitas despesas de material complementar e xerox, que custava uma média de R$ 0,15 por folha, mesmo preto e branco. As apostilas que compramos, coloridas e com ótima qualidade de impressão, saíram por R$ 0,02 a página. Isso é resultado da boa gestão, pois quem paga os fornecedores em dia consegue comprar mais barato”, explicou.

O chefe do Executivo Estadual destacou que a Educação tem recebido prioridade na gestão e melhorar o ensino é uma das grandes metas do Governo de Mato Grosso.

“Nas últimas semanas, disponibilizamos um notebook de última geração para todos os professores no estado de Mato Grosso. Os profissionais vão ter nesse equipamento uma ferramenta de trabalho, que vem acompanhado de um kit de internet por três anos, para que ele possa acessar qualquer conteúdo nas plataformas digitais, que cada vez mais estarão presentes na educação pública do estado de Mato Grosso”, mencionou.

Mauro ainda pontuou os investimentos do Estado na melhoria da infraestrutura escolar.

“Todos os dias tenho me reunido com a Seduc para buscar formas e metodologias para modernizar a educação. Hoje as crianças desde pequenas já estão craques no celular, já dominam essas ferramentas, e as escolas não podem ficar para trás. Precisa mudar, essa mudança de qualidade, de patamar, para trazer para a escola pública. Muitas outras ações virão nas próximas semanas. Temos um conjunto muito grande de escolas sendo reformadas, de escolas sendo construídas. Já compramos ar-condicionado para equipar mais 300 escolas que não tem o sistema. Até o ano que vem, vamos melhorar muito a infraestrutura escolar e pedagógica. O que nós queremos com esse conjunto de investimentos é, ao final, ter um ensino público de qualidade em Mato Grosso e que entregue resultados positivos aos nossos alunos”, concluiu.

console.log(‘Aud01’);