Helder Faria

Após denúncias feitas pelo deputado Ulysses Moraes sobre duplicidade em documentos oficiais da Secretaria de Estado de Saúde (SES) que tratam da distribuição das doses da vacina contra Covid-19, o Governo de Mato Grosso admitiu o erro.

O parlamentar fez esses apontamentos na audiência pública realizada na última quinta-feira (11), com a presença do secretário de Saúde e destacou uma substituição na resolução N° 3 da Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT) sem retificação. Nesta sexta-feira (12), o Governo do Estado de Mato Grosso admitiu a falha.

“Mostrei isso ontem na audiência pública. Estamos denunciando irregularidades nos documentos de distribuição das doses da vacina da SES desde o dia 29 de janeiro e simplesmente, no dia três de fevereiro, o Governo substitui um documento pelo outro alterando os números das doses, sem nenhuma retificação? Isso é errado, estamos trabalhando com gestão pública, tudo precisa ser transparente. Agora, finalmente, o Governo de MT admitiu o erro”, disse Moraes.

O Governo do Estado de Mato Grosso emitiu uma nota falando sobre uma falha na substituição da resolução CIB-MT “Ad Referendum” N° 3, de 25 janeiro de 2020. O Governo reconhece que houve erro.

No dia 28 de janeiro de 2021, o deputado encontrou no site da SES-MT, a resolução CIB-MT “Ad Referendum” N° 3, com quatro páginas assinadas pelo secretário de Saúde e um total de 2000 doses destinadas aos profissionais de saúde de Mato Grosso. E no dia 03 de fevereiro de 2021, o arquivo CIB-MT “Ad Referendum” N° 3, foi alterado, sem qualquer comunicação formal ou publicidade nesse sentido, modificando o seu anexo único, agora passando a constar 1.972 vacinas em 1ª dose e 1.972 em 2ª dose.

O deputado Ulysses Moraes apontou essa duplicidade dos documentos oficiais como um erro e na nota emitida nesta sexta-feira (12), o Governo de MT admitiu esse erro.

“Diferente do governador e do secretário de Saúde, sempre me pautei e continuo me pautando pela verdade, pela transparência e pela precisão nos dados. Após passar dias atacando sem dar qualquer explicação para os erros que eu encontrei nos documentos de distribuição das doses da vacina, o governo de Mato Grosso finalmente reconheceu a falha em nota. Espero que a partir de agora o governo passe a tratar essas distribuições com mais seriedade, e que todos os erros sejam tratados com responsabilidade sem ataques infundados a quem fiscaliza e aponta”, finalizou o deputado.