Helder Faria

Após inúmeras cobranças e denúncias do deputado Ulysses Moraes sobre irregularidades nos documentos oficiais da Secretaria de Estado de Saúde (SES) sobre a distribuição das doses da vacina contra a Covid-19, o governo de Mato Grosso emitiu uma nota admitindo a falha. Além disso, publicou uma nova resolução da Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT) corrigindo os números de doses dos indígenas da resolução CIB/MT Ad Referendum N.° 01 de 19 de janeiro de 2021.

“Enfim, o governo de MT teve a capacidade de admitir essa falha. Ao invés de nos atacar, o governador e secretário de saúde deveriam ter admitido o erro desde início dos nossos apontamentos. Mas, a verdade venceu. Estávamos em busca da transparência. A resolução N.° 15 publicada no último dia 12 trouxe um quantitativo de mais de 31 mil doses que foram destinadas aos indígenas, idosos acima de 60 anos institucionalizados e pessoas com deficiência institucionalizadas. E isso não constava até então em nenhum documento oficial”, disse Moraes.

Vale destacar que a primeira denúncia do parlamentar, apontava um valor superior a 34 mil doses que não constavam nos documento oficiais da SES. Isso, mesmo citando nas resoluções que as doses contidas nos anexos já representavam o total de primeira e segunda dose.

Após as indicações de Moraes quanto às inconsistências nos documentos da Secretaria de Saúde, no último dia 12 de fevereiro foi publicada a Resolução CIB/MT N.° 15 de 05 de fevereiro de 2021 com as correções. Neste documento, já traz o valor exato da primeira remessa da CoronaVac enviada pelo Ministério da Saúde com um total de 126.160 doses. Bem como, a correção nos anexos nas resoluções: CIB/MT Ad Referendum N.° 01 de 19 de janeiro de 2021 e CIB/MT Ad Referendum N.° 03 de 25 de janeiro de 2021.

“Era apenas isso que queríamos. Quando analisamos essa documentação no final de janeiro detectamos muitos erros. Desde a palavra aproximadamente já era um erro. Como que não sabe o valor exato de doses que foram enviadas? Finalmente, essas falhas parecem ter sido corrigidas, continuo fiscalizando”, afirmou o deputado.

De acordo com o parlamentar, a nota que o governo de MT publicou na última sexta-feira (12) foi mais que necessária. Uma das funções de um parlamentar é fiscalizar e foi justamente isso que Ulysses Moraes fez. “Seria muito mais fácil que o governador e o secretário de saúde tivessem admitido essas falhas no começo, mas finalmente a verdade venceu. E iremos continuar de olho em tudo. A vacina é coisa séria, pode salvar vidas, não dá para cometer falhas justamente nisso. Corrigidos os erros que nós apontamos, fica a prova de quem uma boa fiscalização dá sim, bons resultados. Esse trabalho pela busca de mais transparência é para população. E vamos continuar intensificando nossas fiscalizações. Estamos atentos a tudo”, finalizou o deputado.