Câmara de Cuiabá

O presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, Juca do Guaraná Filho (MDB), esteve presente na primeira audiência pública na Assembleia Legislativa (ALMT), para discutir sobre a mudança do modal em Cuiabá e Várzea Grande e admitiu que não tem quase nada o que fazer e que será apenas um espectador nessa disputa do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) e Mauro Mendes (DEM).

“Nós vamos acompanhar, infelizmente não temos o que fazer quase nada. Estamos aqui participando para ouvir também e ser ouvido”, respondeu o chefe do Parlamento Municipal de Cuiabá a indagação feita pela redação do Site Mato Grosso Mais que perguntou qual seria a postura da Câmara nessa situação.

O debate foi realizado na tarde desta quinta-feira (04), onde o presidente admitiu o desprezo do governador para a Casa de Leis Municipal, e disse que foi barrado ao tentar entrar na reunião técnica onde foi apresentada diretrizes do plano funcional da rede integrada do transporte coletivo, para implantação do Ônibus de Trânsito Rápido (BRT).

“A Câmara de Cuiabá precisa ser ouvida, é o Poder Legislativo da Capital que sequer foi ouvida, e não foi por falta de nós oferecermos, eu como presidente, fiz um ofício para o governador, e queria ser ouvido. Inclusive eu me ofereci para participar desse encontro que teve do Governo do Estado, lá eu fui barrado, disseram que era só um encontro técnico e eu não fui aceito para participar desse evento”, reclamou Juca.

O emedebista agradeceu ao deputado estadual Valdir Barranco (PT), por ter convidado o Legislativo cuiabano para participar das discussões sobre a troca do transporte. “Pela primeira vez que a Câmara de Cuiabá está sendo ouvida sobre esse assunto. Aqui estão presentes os 25 vereadores e vereadoras por causa da tamanha importância do assunto para nós”, agradeceu o presidente.