Foto Internet

Rondonópolis registra um triste quadro desde o início da Pandemia da Covid-19. Os números constam do boletim informativo da Secretaria de Estado de Saúde e indicam que o município contabiliza 544 mortes em decorrência da Covid-19.  Somente nas últimas 24 horas foram três mortes registradas e o número de casos  saltou de 21365 para 21387.

O boletim também informa que um total de 814 pessoas estão em isolamento domiciliar e outras 138 estão internadas em decorrência da Covid-19.

Uma das grandes  preocupações  no momento, diante do avanço desenfreado da Pandemia em Rondonópolis,  é que um possível lockdown esteja cada dia mais iminente. Tal medida, drástica, preocupa justamente pela forma como já foi praticada anteriormente na cidade, no  início da Pandemia da Covid-19.

Trata-se de uma medida, que, de qualquer forma vai causar prejuízos ao comércio e indústria, e por ordem natural, aos trabalhadores e demais segmentos do setor financeiro e econômico. Além dessas questões, pairam as dúvidas de eficácia diante do objetivo maior  que é justamente o controle no índice de contaminação.

Para funcionar de forma menos ofensiva seria fundamental que um possível  lockdown chegasse acompanhado de outras medidas, como por exemplo, apoio aos empresários, talvez  com abertura de crédito especial para o setor produtivo, e também com um olhar social voltado  à classe trabalhadora, evitando perdas salariais, ou reparando essas possíveis  perdas com o auxílio emergencial. Este é o pensamento da maioria esmagadora de representantes das classes empresariais e trabalhadoras.

O ramo de bares, lanchonetes e restaurantes, por exemplo, já amargou, só no ano passado, mais de 10 mil demissões no estado de Mato Grosso, por conta da Covid-19 segundo o presidente do sindicato que representa a categoria, Jomer Arruda.

Porém, até o momento, são apenas preocupações e especulações em torno do assunto. É esperar pra ver.