Quarenta e nove mulheres vítimas de feminicídio em 2020 nunca registraram denúncias de violência, conforme o relatório técnico produzido pela Superintendência de Observatório de Segurança Pública e divulgado nesta segunda-feira (8).

O estudo analisou os 62 casos de feminicídio em Mato Grosso no ano passado e apontou que 9% das vítimas não possuíam registros anteriores de violência doméstica contra o agressor. Apenas 13% tinham registros de ameaça, porte de arma ou vias de fato.

Ainda conforme o levantamento, 10 tinham medida protetiva, enquanto que 52 não eram assistidas, seja porque não fizeram boletim de ocorrência ou porque não foram amparadas pelo direito pela Justiça.

Ainda de acordo com o levantamento, as vítimas, em sua maioria, tinham idade de 25 a 45 anos, sendo que 42 casos a motivação para o crime foi passional, seguido por sexual e outros.

Arma e local

A maioria dos assassinatos ocorreram no interior do estado e cinco foram em Cuiabá.

De acordo com a secretaria de Segurança, 74% dos casos o local do assassinato foi dentro da própria casa da vítima, enquanto 16% foram em via pública.

A arma branca – facas ou outros meios cortantes – foi o principal meio usado na prática do crime, sendo 43 mulheres mortas dessa forma. Outras 11 foram assassinadas por arma de fogo, cinco pela força muscular e 3 casos por outros meios. A maioria das mortes foram nos finais de semana, pela madrugada.