O vice-líder do Governo Federal na Câmara dos Deputados, o deputado federal José Medeiros (Podemos) lamenta os ataques que o governador Mauro Mendes (DEM) vem fazendo ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a sua gestão. Para ele, as críticas são infundadas e demonstram a tentativa de transferir para a União os erros da gestão estadual.

 “Em uma ação de marketing visando o processo eleitoral do ano que vem, o governador anunciou a compra de doses da vacina russa Sputnik V, que é usada para combater a covid-19, mesmo sabendo que ela ainda não estava autorizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Agora, de forma leviana, o governador declara que existe má vontade por parte do órgão federal em aprovar o uso da vacina russa. Ora, acusam o presidente de não seguir a ciência, as normas, mas quando a ciência e os protocolos de segurança são seguidos atacam o Governo Federal. Infelizmente estão politizando a pandemia e a vacina visando a eleição do próximo ano”, afirma Medeiros.

Para exemplificar o processo burocrático, o deputado cita a licença para construção de 130 pontes na BR-174, que está parada na Secretaria de Estado de Meio Ambiente. “A demora na liberação da licença é culpa do governador? O governador Mauro Mendes precisa agir com seriedade e começar a trabalhar de forma mais eficiente para salvar vidas. É preciso deixar a picuinha política de lado e começar a trabalhar em prol da população. Pessoas estão sendo prejudicadas, por exemplo, com a disputa política entre o governador e o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB). O governador precisa trabalhar mais e falar menos”, dispara o deputado federal.

Medeiros explica que a Anvisa vai realizar, ainda no mês de abril, inspeções em fábricas da Sputnik, na Rússia, para levantar dados que faltam para autorização do uso do imunizante no Brasil. “Existe um protocolo a ser seguido para autorizar a vacina em nosso país. O Governo Federal já assinou, no início de março, o contrato de compra emergencial de 10 milhões de doses da Sputnik, além de acelerar o processo de importação. Ocorre que a inspeção foi adiada a pedido do Fundo Soberano Russo, mas foi remarcada entre os dias 19 e 23 deste mês, conforme a Anvisa divulgou”, comenta o parlamentar.

O deputado cita ainda a eficiência da política de imunização implementada pela União e destaca o anúncio, nesta quarta-feira (14), da antecipação de mais 2 milhões de doses de imunizantes da fabricante Pfizer para reforçar o programa de vacinação em todo o país. “Foram quase 50 milhões de doses da vacina e mais de 27 milhões de doses aplicadas em todo o país. Em Mato Grosso, existem relatos de atraso na distribuição e aplicação das vacinas. Essa etapa do processo compete ao governo estadual e às prefeituras. Infelizmente, o processo de vacinação em  Mato Grosso está lento, como também a falta de transparência na aplicação dos recursos federais enviados para combater a pandemia”, conclui Medeiros.

console.log(‘Aud01’);