PJC-MT

Um foragido da Justiça e membro da cúpula de uma organização criminosa, foi preso na noite de sexta-feira (26.02), após informações da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) obtidas com apoio da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil. repassadas a Polícia Rodoviária Federal (PRF). A prisão aconteceu no município de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá).

O suspeito vinha sendo procurado desde o meado do ano passado (2020), depois de ser solto por decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, utilizando atestado médico falso alegando que o mesmo fazia parte do grupo de risco por conta da Covid-19, pois possuía comorbidade.

Durante investigação para apurar o paradeiro do suspeito, os policiais civis da GCCO em conjunto com a Diretoria de Inteligência, descobriram que ele estava vindo de Balneário Camboriú, Estado de Santa Catarina, em um veículo Pajero cor branca.

Diante das informações foi solicitado auxílio da Polícia Rodoviária Federal, que realizou a abordagem do referido automóvel onde o suspeito estava, nas proximidades da cidade de Rondonópolis.

No momento da abordagem ele apresentou documento falso, porém foi reconhecido pelos policiais civis da GCCO que deslocaram até o ponto da abordagem, sendo então dado cumprimento ao mandado judicial de prisão. O suspeito também responderá pelo crime de uso de documento falso.

Conforme apurado o suspeito integra a cúpula de uma facção criminosa instalada em Cuiabá, razão pela qual foi preciso um trabalho especializado para a sua localização.

O homem estava em uma Pajero nova, que supostamente seria de sua advogada, conforme relato do próprio detido à PRF. Fato esse que será objeto de investigação da participação da profissional em possível crime de favorecimento pessoal.  O aparelho celular dele também foi apreendido para análise.

Depois de preso, o suspeito foi conduzido até a Gerência Estadual de Polinter e Capturas para as providências cabíveis, e posteriormente encaminhado para audiência de custódia.

Participaram da ação 10 policiais civis da GCCO, 2 equipes da Diretoria de Inteligências e policiais da PRF.