Reprodução

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Eduardo Botelho (DEM), afirmou ser contra a ideia defendida pelo prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), de se instaurar um plebiscito para decidir quem sairá como vencedor no “duelo de titãs” entre os modais, Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) e Ônibus de Transporte Rápido (BRT).

Na tarde de quinta-feira (18), o parlamentar e amigo íntimo de Pinheiro, afirmou que o melhor é escolher pelo BRT e ser contrário a isso é criar empecilhos, ‘pedra no caminho’. O presidente explicou que primeiramente Pinheiro precisa contar com o apoio dos deputados para que o projeto chegue até a Assembleia e então possa ser votado.

Ele precisa primeiro dos deputados que coloquem o projeto lá dentro, se ele for colocado, evidentemente que eu como presidente preciso colocar ele para tramitar, se vai ser aprovado ou não, eu não sei, depende da maioria“, disse Eduardo.

O chefe do Parlamento disse que não aprovar o BRT é criar contenda, e que caso fosse implantado futuramente Emanuel auxiliaria sim, no desenvolvimento do modal. “O melhor agora é todos unirmos para construir o BRT, já tá escolhido já tá em projeto, lutar para voltar atrás é botar pedra no caminho, criar empecilho. Acredito que quando começarem as obras ele vai ajudar, ele quer o melhor para Cuiabá também“, reforça Botelho.

Por fim, parlamentar que afirmou ter contato diário com o prefeito de Cuiabá, e que suas opiniões são bem definidas “Converso com o prefeito Emanuel quase todos os dias, já disse pra ele a minha posição e ele disse a dele“, revelou o deputado.