Luiz Alves

O prefeito Emanuel Pinheiro conduziu, nesta segunda-feira (08), como presidente da associação, a primeira reunião extraordinária de 2021 do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico e Social do Vale do Rio Cuiabá. O encontro foi realizado em Santo Antônio de Leverger e contou com a presença de gestores de 11 municípios da Baixada Cuiabana.

No encontro, o chefe do Executivo da capital defendeu que seja promovida uma reformulação do atual modelo de desenvolvimento regional, no qual, segundo Pinheiro há uma desigualdade que prejudica o crescimento dos municípios de menor porte. Para Pinheiro, é necessário integrar e distribuir as oportunidade de crescimento, contemplando principalmente a região do Vale do Rio Cuiabá.

“A Baixada Cuiabana é onde fica a capital do estado e onde tudo começou. Somos mais de 1 milhão de habitantes e também possui as duas maiores cidades de Mato Grosso. Precisamos redesenhar esse processo que está em vigor atualmente, pelo qual poucos têm muitos e muitos têm pouco, especialmente no entorno de Cuiabá e Várzea Grande”, justificou o prefeito Emanuel Pinheiro.

Um das pautas encaminhadas na reunião foi o acesso ao programa Mais MT, que foi lançado pelo Governo do Estado. De acordo com Pinheiro, os municípios do Vale do Rio Cuiabá está unindo as forças políticas e administrativas para fazer com que esses investimento também atendam essa região que é a mais populosa do estado e com grande potencial de desenvolvimento econômico.

“Queremos acessar para o Vale de Cuiabá esse investimento, que está sendo distribuído para todo Mato Grosso. Os município menores, em especial, têm pago um preço muito caro por esse desequilíbrio na distribuição e devem ser olhados com outros olhos. Estamos nos unindo em prol de pautas integradas, de interesse comum, para que possamos gerar emprego e renda”, destacou Pinheiro.

Criado em dezembro de 2005, o Consórcio Vale do Rio Cuiabá é formado por Cuiabá, Várzea Grande, Acorizal, Barão de Melgaço, Chapada dos Guimarães, Jangada, Nobres, Nossa Senhora do Livramento, Nova Brasilândia, Planalto da Serra, Poconé, Rosário Oeste e Santo Antônio de Leverger. Com uma área aproximada de 76 mil quilômetros quadrados, esses municípios somam mais de 1 milhão de habitantes.

“A união do consórcio derruba fronteiras e passamos a nos entendemos como uma só região, com necessidades parecidas. Não é justo, por exemplo, que Cuiabá e Várzea Grande, por serem as duas maiores cidades, tenham um processo desenvolvimentista e cidades a 28 km, como Leverger, tenha pouco potencial explorado”, finalizou.