Câmara Municipal de Cuiabá

A secretária de Saúde, Ozenira Félix, esteve na Câmara de Cuiabá na manhã desta sexta-feira (12.02) para esclarecer dúvidas dos vereadores e vereadoras sobre o Plano Municipal de Vacinação contra a covid-19.

Ozenira disse que entregou a lista de pessoas que já foram vacinadas ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) e que agora disponibilizará o documento ao Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT) e à Câmara Municipal. Segundo a secretária, o acesso só foi liberado após reunião com os órgãos de controle mediante a assinatura de um termo de compromisso para manter o sigilo dos nomes dos vacinados, conforme estabelecido pelo Ministério da Saúde.

“Não temos o que esconder, tanto que ofertamos um link do sistema de controle para o Tribunal de Contas. Vamos disponibilizar a equipe do promotor Alexandre Guedes e ao presidente e vice-presidente da Câmara. Não vamos divulgar os nomes, o acesso da Câmara, do TCE e do MPMT são para que possam fiscalizar junto conosco. Isso é fundamental e tira um peso só da Secretaria de Saúde”, afirmou a secretária. 

Questionada sobre as denúncias de possíveis fura-fila, Ozenira explicou que todos os casos estão sendo investigados.

“Todas as denúncias que são feitas abrimos procedimentos e encaminhamos para nossa equipe que faz a avaliação e, em seguida, dá continuidade. Sendo servidor público da Prefeitura de Cuiabá, vamos abrir um procedimento administrativo disciplinar, não sendo vamos encaminhar ao Ministério Público”, declarou.

O presidente da Câmara de Cuiabá, Juca do Guaraná Filho (MDB), agradeceu a presença da secretária no Legislativo para esclarecer as dúvidas dos parlamentares sobre a execução do Plano Municipal de Vacinação. Além disso, Juca destacou que a Câmara está acompanhando o andamento das imunizações na capital através de uma Comissão Provisória.

“Agradeço a vinda da secretária a esta Casa, os vereadores e vereadoras pela participação e quero parafrasear o pastor Eduardo: ser secretário de saúde de uma Capital não é fácil e durante uma pandemia, talvez a maior da história da humanidade, com certeza, é mais difícil ainda”, declarou o presidente da Casa.