Da assessoria

Alguns representantes do Sindicato Intermunicipal dos Empregados do Comércio de Bares da Região Sul de Mato Grosso (Sindecombares-Sul) reuniram-se com o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL), nesta quinta-feira (11), em Rondonópolis, para solicitar soluções ao setor que é impactado financeiramente desde o início da pandemia Covid-19. O município cumpre o decreto estadual com medidas restritivas para controlar a disseminação da doença.

Conforme a presidente do Sindecombares-Sul, Aurinetes de Amorim Moura, já são mais de 800 desempregados desde o início do ano até os dias atuais. “Com o decreto, os funcionários da turma da noite estão desempregados, parados e os eventos interrompidos. As maiores empresas estão fechando e indo embora e já não sabemos mais para quem recorremos. Todos estão parados e não tem nenhum auxílio para se manter. Quero e peço! Este pessoal precisa ter um meio para sobreviver. Não sabemos mais para quem recorremos”, desespera.

Reivindicações

Aurinetes comenta que é difícil hoje encontrar um empresário com o nome limpo, pois as empresas precisam de subsídios para não ficarem inadimplentes. “A gente não sabe o que fazer. O Sindicato vive dos associados. As empresas que estão paradas, não conseguem nem pagar a mensalidade do sindicato. Já solicitamos para a Câmara dos Vereadores para nos ajudar a flexibilizar a situação para conseguirmos trabalhar e os negócios funcionarem”, explica.

Em relação ao pagamento do alvará de funcionamento do estabelecimento comercial, a presidente esclarece que muitos empresários não renovaram o documento devido às atividades estarem funcionando parcialmente ou totalmente interrompidas. Ela sugeriu ao deputado que seria importante o pagamento ser postergado ou estendido. “Ano passado eu paguei mil e pouco e agora não consigo pagar. Como vai pagar, se não está funcionando? O município precisa e são nestes encargos que se mantém. São muitos assuntos que devem ser tratados com o prefeito”, salienta.

“Isso já acontece há um ano. Não foi feito nenhum planejamento. A pandemia intensificou, aumentou o desemprego no país e bagunçou a vida dos trabalhadores locais. Vamos tentar ver essa situação com o prefeito e vereadores do município. E, claro, a Assembleia Legislativa já está ciente dessa situação e vamos buscando formas de contribuir com essa categoria”, explana Claudinei.

Alternativa

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), anunciou um pacote de medidas para o setor de bares, restaurantes e eventos no âmbito estadual, em que beneficiará também o Microempreendedor Individual (MEI), micro e pequenas empresas.

A proposta contará com a Desenvolve MT que disponibilizará três linhas de créditos de R$ 10 mil, R$ 50 mil e até R$ 700 mil para as categorias de bares, restaurantes e empresas do setor de eventos. Nesses valores, foram determinados prazos para pagamento que envolvem juros zero para parcelas em dia e carência de seis meses.

Também, serão prorrogadas as dívidas de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) por até 60 meses para operações ocorridas até julho de 2020, como, também, o adiamento do pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e licenciamento para julho deste ano.

De acordo com Claudinei, a Assembleia Legislativa já acompanha a situação crítica enfrentada por empresários e autônomos de Mato Grosso. “Este passo dado pelo governo foi bastante significativo. A Casa de Leis disponibilizou R$ 10 milhões do duodécimo para ajudar o poder executivo e que vai resultar em um investimento de R$ 55 milhões”, esclarece o parlamentar.

Aurinetes informa que este é um benefício para a categoria, mas o auxílio financeiro ou emergencial seria essencial para ajudar os colaboradores que estão desamparados. Mas, adianta que os empresários estão com o nome sujo e alguns deles consideraram bastante burocrático alguns trâmites.

“Agora pela manhã, eles questionaram algumas exigências de documentações a serem apresentadas. Eu digo que é o que temos para hoje. Queria um auxílio para os empregados. Se eu pudesse, teria mantido o emprego deles, mas está difícil para todo mundo. Eles não têm onde tirar dinheiro. É duro ouvir um trabalhador dizer que está passando fome”, diz a presidente do Sindecombares-Sul.

No encontro com o deputado, também estiveram presentes com Aurinetes – os empresários Jonas Honório de Oliveira, Ester Cristina e Marcos Daniel.

Sindicato – Além de bares, o Sindecombares-Sul engloba restaurantes, churrascarias, pizzarias, boates, sorveterias, marmitarias, conveniências, choperias, peixarias, fast food, cozinhas coletivas e buffets. Essa entidade tem como objetivo atender de forma regionalizada e culturalmente adaptada, respeitando a vontade dos trabalhadores locais.