Divulgação

Ações efetivas como o fortalecimento das redes de proteção e criação de políticas públicas para o enfrentamento da violência doméstica contra a mulher foram discutidas na tarde desta sexta-feira (12 de março), em reunião virtual. A presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargadora Maria Helena Póvoas apresentou a campanha “A vida recomeça quando a violência termina: quebre o ciclo”, lançada pelo Poder Judiciário de Mato Grosso, à primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro e demais parceiros. O objetivo é mostrar que a Justiça estadual está ao lado das mulheres vítimas de violência doméstica.

A presidente destacou a soma de esforços e ressaltou a relevância da campanha, que já conta com diversos parceiros, para que as mulheres entendam a importância de romper o ciclo da violência, seja ela qual for.

“Precisamos somar esforços e tenho certeza que será uma bela parceria com a Prefeitura de Cuiabá e Secretaria da Mulher em prol de inúmeras mulheres. Temos conosco também os juízes das vara especializadas que convivem com essa questão diariamente e têm um olhar diferenciado, pessoas com uma grande sensibilidade que conduzem varas tão delicadas como essas. Além disso, temos parceiros como a Polícia Civil, Polícia Militar, Secretaria de Segurança e com certeza colheremos bons frutos com esse movimento em prol das mulheres”, comentou a desembargadora.

A primeira-dama da Capital, Márcia Pinheiro enalteceu a campanha e reiterou a parceria com o Poder Judiciário de Mato Grosso para a concretização e conscientização das mulheres que vivem em situação de violência.

“Essa campanha é maravilhosa para quebrar o ciclo da violência e é um trabalho que deve ser contínuo para mostrar para essas mulheres como denunciar, o que elas podem fazer, para se empoderar, a quem recorrer. Que sejamos um canal para que tudo isso aconteça e no que depender de nós, da Secretaria da Mulher, para fazermos ações em conjunto podem contar com a gente. Estamos à disposição para somarmos e essa parceria será muito importante. A união faz a força e o desempenho e apoio de cada vai possibilitar que possamos avançar nas políticas públicas e melhorar o cenário que as nossas mulheres estão vivendo.”

Conforme a juíza auxiliar da Presidência do TJMT, Adriana Adriana Coningham, a ideia da campanha é que a mulher entenda que ela está dentro de um ciclo de violência. “Por isso o nome da campanha. Muitas vezes ela não se vê como vítima da violência doméstica, não vê o perigo que ela corre e deixa de pedir pela sua segurança porque ela não acredita que aquela violência vá se transformar em algo maior ou colocar em risco a sua vida. A campanha, além de ser no sentido de cessar a violência é para esclarecer à mulher que esse ciclo existe”, explicou.

Os quatro juízes das duas varas especializadas de violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da Comarca de Cuiabá participaram da reunião e deram suas contribuições com base nas experiências vivenciadas com as mulheres que sofrem os mais variados tipos de agressão.

Titular da Primeira Vara, a juíza Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa falou sobre a Casa de Amparo e a sua importância as vítimas de agressão e seus filhos e também falou sobre a valorização do  tema pela atual Administração da Justiça estadual. “Quero agradecer a presidente, desembargadora Maria Helena, pelo empenho com a violência doméstica que sempre foi esquecida. Agora as mulheres de Mato Grosso se sentem valorizadas com a atual gestão do Tribunal de Justiça. Temos que conscientizar as mulheres da violência que elas estão sofrendo e algo tem que ser feito.”

A juíza Tatiane Colombo, da Segunda Vara definiu a campanha do Judiciário como inovadora e ímpar. “O Tribunal de Justiça está de parabéns porque é uma campanha simples, instrutiva e direta e precisa desse apoio da prefeitura para informar porque muitas pessoas não têm conhecimento do ciclo da violência doméstica. Só teremos força dentro do município se tivermos apoio, para a criação de políticas públicas, no pós-sentença, e fortalecermos a rede dentro de Cuiabá.”

Também participaram da reunião os juízes da Primeira e Segunda Varas de Violência Doméstica e Familiar Contra Mulher da Capital, Jamilson Haddad Campos e Jeverson Quintieri, a titular da Secretaria da Mulher de Cuiabá, Luciana Zamproni, o diretor-Geral adjunto da Polícia Civil, Dr. Gianmarco Pacola Capoani, a diretora-geral do TJMT, Janaina Bergamaschi, a tenente-coronel PM Emirella Martins, responsável pela Patrulha Maria da Penha.