Profissionais da segurança pública, que começariam a ser vacinados nesta quinta-feira (8) em Cuiabá, tiveram a imunização suspensa. De acordo com os secretários de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, e o secretário chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá não entregou as doses para que fossem levadas até o Senai, local onde iria se iniciar a campanha de vacinação. Ainda não há data para que a vacinação seja retomada. A Prefeitura de Cuiabá afirmou, por nota, que não recebeu doses destinadas ao grupo de profissionais de segurança e, por isso, não realizou a entrega.

Para o secretário Mauro Carvalho, a questão é política. “A Sosemes, que é o Conselho Municipal Dos Secretários De Saúde, liberou para as forças de segurança, O Ministério Público Federal, fizemos um trabalho enorme, liberou, o Ministério Publico Estadual a mesma coisa, a secretaria de saúde, idêntico, as pessoas estão lá na porta da secretaria de saúde para entregar as vacinas e a vacina não chega aqui?”, questionou o secretário.

“Acho que tem cunho político. Eu sinto muito no aniversário de Cuiabá é esse o presente que a prefeitura dá para as pessoas que cuidam da segurança da nossa gente. É lamentável uma postura como essa, no aniversário de Cuiabá o tratamento que as forças de segurança que são homens bravos, corajosos, que estão todos os dias defendendo a nossa família, a nossa gente, e ser tratado dessa forma. É lamentável”, completou.

Nota da Prefeitura de Cuiabá:

Em relação à vacinação dos membros das Forças Armadas e Forças de Segurança Pública, a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá (SMS) informa que:

– Não recebeu vacinas destinadas a esse grupo. Conforme resolução da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) nº 21, as 22.515 doses recebidas o último dia 5 devem ser usadas da seguinte forma:

2.575 doses de Astrazeneca, voltadas para segunda dose de trabalhadores da saúde;

19.940 doses da Coronavac, sendo 17.970 doses para segunda aplicação de trabalhadores da saúde e de idosos e 1.970 doses para primeira aplicação de idosos de 65 a 69 anos.

– A Secretaria de Estado de Saúde sugeriu ao Município que retirasse dessas doses uma parte para iniciar a vacinação dos membros das Forças Armadas e Forças de Segurança Pública, o que foi negado, diante da responsabilização legal que pode advir disso.  Necessário informar, que neste caso, a responsabilidade pela vacinação é da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso.

– A SMS destaca que não participa da organização da vacinação dos membros das Forças Armadas e Forças de Segurança Pública, que é da Secretaria de Estado de Segurança Pública.

– A SMS informa que apenas participou oferecendo a capacitação para que os próprios servidores atuassem na vacinação, desde o registro até a aplicação das doses, no caso daqueles que têm formação na área da Saúde.

-Em relação às doses destinadas ao grupo, a SMS esclarece que aguarda a resolução CIB Ad Referendum que regulamenta a distribuição de doses para a SESP.

console.log(‘Aud01’);