O juiz da 1ª Vara Criminal de Várzea Grande, Murilo Moura Mesquita, determinou na semana passada, que o policial militar fosse internado em uma instituição psiquiátrica.

A decisão do magistrado atende à recomendação do Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) que pugnou pela substituição da prisão preventiva pela medida de “tratamento multidisciplinar para saúde mental, em regime de internação psiquiátrica”.

Na mesma ocasião, o MP também pediu a suspensão temporária do porte de arma de Márcio Cardoso.

Segundo os autos, a insanidade mental do militar aposentado foi constatada por meio de laudos periciais homologados pelo juízo.

O caso

As imagens de um circuito interno de segurança de uma boate flagraram o momento em que o sargento aposentado da Polícia Militar, Márcio Cardoso da Silva, executou Wheric Lino de Barros, de 30 anos, com vários tiros.

O crime aconteceu, em agosto do ano passado (2020), em um estabelecimento localizado no bairro Jardim Potiguar, região do “Zero KM”, em Várzea Grande.

A execução foi registrada por volta das 22h12. Nos vídeos, é possível ver que a vítima sai da boate às 22h11 e volta ao estabelecimento um minuto depois.

Logo em seguida, Wheric tenta entrar na boate novamente é interceptado pelo sargento, que está usando um boné e com uma latinha na mão. O militar tenta conversar com a vítima, mas o homem não aceita e ainda empurra Márcio.

Na sequência, Márcio ainda tenta conversar com a vítima que não responde às tentativas do militar, que vai até um carro que está estacionado em frente à boate, pega uma arma e atira diversas vezes em Wheric.

Após o crime, Márcio corre em direção ao carro para tentar fugir, mas é interceptado por policiais da Força Tática. Durante a abordagem ele ainda é baleado no joelho.

A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.